Defina Objetivos

Definindo Objetivos para o Final de 2016

Compartilhe com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Olá!

Após alguns meses sem postar, estou finalmente de volta! E agora com o meu segundo post para o blog :D. Dessa vez eu decidi falar um pouco sobre algumas reflexões que fiz nos últimos dias e como defini alguns objetivos para a minha vida, – ou seja: estou reorganizando a “casa” – mais especificamente para esse finalzinho de ano.

Essa sempre foi uma dificuldade minha – definir objetivos – mas agora eu decidi me reorganizar. E esse texto faz parte dessa mudança, assim como você. Sim, você mesmo! Pois decidi compartilhar um pouco desse momento da minha vida contigo. Sendo assim, vamos logo ao que interessa.

Se você tem as mesmas dificuldades que eu, espero que esse post seja útil.

Um Pouco de História

Há oito anos, quando eu tinha vinte e um anos, eu era um cara gordinho que tinha dificuldades em seguir qualquer plano para perder peso. Eu me motivava com meus amigos marombeiros e decidia voltar a malhar, mas essa motivação não durava mais que duas semanas. Sempre que eu precisava faltar por algum motivo, parecia que a falta gerava uma reação em cadeia e eu começava, dia após dia, a acumular faltas, até que eu simplesmente não voltava – e engordava mais ainda! Percebendo isso, naquela época eu decidi mudar a minha estratégia.

Eu tinha um amigo chamado Marcelo, que era muito flexível e via muitos filmes do Bruce Lee. Ele era um cara que treinava diversas artes marciais e vivia me mostrando filmes legais sobre o tema e “me esculachava” mostrando que conseguia chutar o teto sem dificuldades, enquanto eu mal conseguia caminhar (tá, isso é um exagero, mas eu estava muito mal fisicamente naquela época, assim como estou hoje. Mas já, já chegarei nessa parte). De tanto ver filmes do Bruce Lee, do Jet Li e do Jack Chan, além dos movimentos plásticos do Ben Froster na Discovery Channel, eu decidi tentar praticar Taekwondo.

Eu fui até a academia Highway One, em Icaraí, e decidi fazer uma aula experimental com o mestre Ricardo Andrade. Para resumir, eu comecei a gostar da prática e via objetivos mais claros que simplesmente perder peso. Eu queria avançar de faixa. Sair da branca e ir pra amarela, da amarela pra laranja e por aí vai. E, passo a passo, eu comecei a perceber mudanças no meu corpo e eu não precisava mais de motivação para emagrecer: perder peso era uma consequência do meu treino e da minha prática constante.

Algumas Desculpas

Lembro que naquela época, após um ano de prática, eu havia perdido uns quinze quilos e estava feliz com meu corpo. Estava evoluindo e aquilo era fantástico. Porém, a faculdade e o curso de alemão começaram a tornar as coisas mais difíceis. Eu passei a ter aulas o dia inteiro: manhã, tarde e noite e, com o tempo, fui deixando os treinos um pouco de lado e foquei em tentar conquistar meu diploma.

Eventualmente eu consegui, mas ao custo de abandonar o Taekwondo e o curso de alemão. Eu lembro claramente meu pensamento da época: “ah, daqui a pouco eu volto e tá tudo certo”. Só sei que o “daqui a pouco” transformou-se em três anos de idas e vindas, alguns cabelos a menos e o volta daqueles quinze quilos que eu havia lutado tanto para perder.

Mas, será que o motivo real de eu ter parado foi mesmo a faculdade ou será que eu inventei desculpas na época? Talvez. Claro que eu não conseguiria manter o mesmo ritmo de treino com tantos compromissos, mas certamente eu não precisava ter parado totalmente. Quem sabe, se eu tivesse parado por um momento para refletir e criado alguns objetivos e me organizado…

Dias de Hoje

Pois bem. Estamos em 2016 e eu passei a maior parte deste e do ano passado tentando voltar aos treinos e à musculação. Praticamente dois anos de muitas desculpas, muita auto sabotagem, muita motivação e algumas lesões. Meu pensamento nesse tempo sempre foi de “se eu consegui no passado, eu posso conseguir novamente!”. Sim, eu posso. Sim, eu vou conseguir. Mas por que isso ainda não aconteceu? Por que está demorando tanto? O que eu tenho feito que tem me impedido de alcançar meus objetivos? O que mudou daqueles anos pra cá?

Foram essas perguntas que me “assombraram” nos últimos dias. Há exatamente uma semana eu comecei a me interessar por investimentos e quem me conhece sabe que, quando eu coloco um assunto na cabeça, eu fico “tarado” pelo tema, lendo livros sobre o assunto, assistindo vídeos no YouTube, lendo dezenas e dezenas de artigos sobre o tema. Tento sanar minhas dúvidas – e medos – de todas as formas possíveis.

Eu tive um desses momentos que chamo de ultra-inspiração há dois meses atrás, mas o tema da vez foi treinamento desportivo em geral (musculação,Taekwondo, nutrição… tudo que pudesse me fazer voltar a treinar Taekwondo e alcançar um nível de excelência). Eu me motivei, comecei a treinar, a malhar, a fazer exercícios calistênicos, aeróbicos, etc e… não deu em nada. Tive que passar um mês em SP a trabalho. Tentei malhar no hotel, mas não consegui. Voltei da viagem e mantive o hábito sedentário.

Mas o que mudou daqueles anos pra cá? Bem, certamente meu corpo mudou. Não tenho mais a resistência que tinha antigamente, meu corpo está mais propenso a lesões e estou acima do peso como nunca antes. Além disso, a minha noção de tempo também mudou. Certamente sou muito mais ocupado que naqueles dias e tenho muito mais compromissos. Mas, pensando de forma racional, tudo isso não passa de um grande conjunto de desculpas.

Definindo Objetivos Para o Final de 2016

Percebendo esses problemas, refleti neste final de semana sobre diversos aspectos da minha vida e decidi dividir alguns dos meus objetivos em três categorias: saúde (basicamente, perda de peso), produtividade e economia. Para cada um dos objetivos, anotei um valor mínimo – algo que TENHO que conseguir fazer; algo que, teoricamente, é muito fácil e não posso inventar desculpas para alcançar – e um valor “extraordinário”: algo que, se eu alcançar, será espetacular! Segue abaixo alguns exemplos:

Perda de Peso:

Mínimo – perder 4kg

Extraordinário: perder 10kg

Produtividade:

Mínimo – ler 1 livro da lista de livros de não-ficção.

Extraordinário – ler 8 livros de não-ficção

Mínimo – escrever 1 post por semana pro meu blog (sim, esse aqui :D)

Extraordinário – escrever 6 posts por semana pro blog

Economia:

Mínimo – economizar R$500,00 por mês

Extraordinário – economizar 40% do meu salário

Mas, esses objetivos por si só são muito vagos. Quanto tempo preciso para alcançá-los ou qual o deadline pra eu criar um novo hábito? Como já estamos em outubro, decidi que o deadline principal destes objetivos será em dezembro. Mais precisamente, dia 10 de dezembro de 2016.

Sistema de Comportamentos e Recompensas

Para alcançar um objetivo, preciso refletir sobre quais comportamentos e hábitos vão fazer com que eu seja bem sucedido, ao contrário do que aconteceu nas últimas tentativas onde, além de não definir objetivos concretos e fáceis de alcançar, eu não mudei alguns comportamentos importantes. Após uma breve reflexão, percebi que minha maior dificuldade para malhar é acordar cedo e vencer a preguiça, por exemplo. Sendo assim, anotei “o que fazer” para melhorar isso e qual recompensa usar para transformar essas idas à academia em um novo hábito:

– Botar roupa de malhar do lado da casa antes de dormir

– Recompensa: chocolate. Comer chocolate somente nos dias que eu conseguir malhar. Preferencialmente, comer IMEDIATAMENTE após malhar.

“Mas Toscano, como você pretende emagrecer comendo CHOCOLATE após a musculação? Está tudo errado!”

Veja bem, minha abordagem nesse momento é focar em criar um novo hábito. Mais importante que criar planilhas e planos absurdos que venho abandonando de forma recorrente, eu decidi simplesmente IR. Ao invés de ficar pensando e arrumando os equipamentos mais legais para malhar e treinar, estou simplesmente decidindo ir todos os dias. 

E o que o chocolate tem a ver com isso?

Bem, o foco no momento é criar recompensas para que meu cérebro associe a minha ida a academia com algo prazeroso e o chocolate faz um grande favor em relação a isso. Tirei essa ideia do vlog do Ramit Seth e achei que faz bastante sentido. O foco aqui é no comportamento, na criação de um hábito. Todo o resto será consequência. Nesse caso específico, o próprio ato de não faltar a academia vai fazer com que eu abandone o chocolate após algumas semanas. A ideia é não precisar mais dessa recompensa após algum tempo e até mesmo os gatilhos (como um despertador, por exemplo) poderão ser descartados.

Eu fiz o mesmo pra alguns dos outros objetivos, mas o caso acima exemplifica bem o sistema.

Revisão dos Objetivos

Quaterly Review - revisando os objetivos

Bem, para que tudo isso dê certo, eu preciso acompanhar minha evolução e verificar se não “sai do trilho” novamente. Sendo assim, tomei mais duas decisões.

 

1 – agendar um “quaterly review” – basicamente, reservar na minha um lembrete recorrente de três em três meses para rever meu progresso. Ver se consegui alcançar os objetivos propostos e pensar no que deu errado, no que posso mudar, etc;

2 – reservar tempo diariamente para alcançar meus objetivos.

No caso “2”, a ideia é reservar horários “sagrados” que me permitam fazer o que me propus. Todo o resto do meu dia deve girar em torno dos objetivos principais e não o contrário.

***

Assim como naquela época, eu decidi agir e mudar o meu status quo. E por que estou compartilhando isso aqui? Porque acho que talvez esse texto possa inspirá-lo a mudar, a se auto-avaliar e fazer com que você se sinta inspirado a tomar uma atitude em relação a sua própria vida.

Além disso, gostaria muito de “ouvir” o que você teria a dizer sobre o assunto. Se tiver alguma dica ou opinião construtiva, não hesite em contribuir deixando um comentário abaixo.

Um grande abraço e até o próximo post.

Assine Nossa Newsletter

Gostaria de receber um e-mail a cada nova publicação do site? Preencha o campo abaixo com seu e-mail e mantenha-se atualizado!


About rltoscano

Nascido na cidade de Niterói em 1987, Rafael L. Toscano graduou-se em Ciência da Computação pela Universidade Federal Fluminense e trabalha atuando na própria área. Começou a escrever contos e poemas quando adolescente e guardava-os em diversos arquivos em seu computador ou num pequeno caderno. Em 2012 criou a página com o seu nome no Facebook, onde começou a publicar textos mais curtos sobre temas diversos. Mas foi em 2014 que passou a atualizá-la com maior frequência e a dedicar-se mais à sua maior paixão: a escrita. Leitor e escritor apaixonado, Rafael é autor e desenvolvedor do site OToscano.com e está terminando o seu primeiro livro, um romance policial intitulado "Enforcados".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *