Prisioneiro

Prisioneiro

Compartilhe com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Acordei entre três
Paredes e uma grade.
Ouvi o gemido
Do vento contando
As horas.

O cheiro e as cores das
Histórias impregnavam
As paredes e pintavam
Os meus minutos.

Levantei-me e matei
Minha fome. O que restou
De mim o tempo consumia,
Segundo a segundo.

Durante o dia o sol
Iluminava meu nome:
Um número na parede.
À noite, a lua roubava-o:

Um anônimo na escuridão.

Lembro-me da primeira
Vez que recolhi meus
Migalhos e senti
Mais uma vez o gosto
Da esperança.

Uma sobremesa após um jantar
De arrependimentos.

Um fantasma caminhava
Entre as árvores. Sua
Liberdade expandia-se, sufocando
O verde das folhas,
Falsa como o azul do céu.

A chuva lavou meu
caminho em direção a um
horizonte sem nomes.

Rafael L. Toscano


About rltoscano

Nascido na cidade de Niterói em 1987, Rafael L. Toscano graduou-se em Ciência da Computação pela Universidade Federal Fluminense e trabalha atuando na própria área. Começou a escrever contos e poemas quando adolescente e guardava-os em diversos arquivos em seu computador ou num pequeno caderno. Em 2012 criou a página com o seu nome no Facebook, onde começou a publicar textos mais curtos sobre temas diversos. Mas foi em 2014 que passou a atualizá-la com maior frequência e a dedicar-se mais à sua maior paixão: a escrita.
Leitor e escritor apaixonado, Rafael é autor e desenvolvedor do site OToscano.com e está terminando o seu primeiro livro, um romance policial intitulado “Enforcados”.

2 comments:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *